Ungidos ou marajás ? A vida luxuosa da liderança das Testemunhas De Jeová na nova Sede Mundial

Durante uma visita pastoral a Ilha de Malta em 1996 , Milton G. Henschel , então presidente da Sociedade Torre De Vigia na época deixou abismados as Testemunhas De Jeová da região ao se hospedar num hotel cinco estrelas da Ilha , cuja diárias na época variava entre 223 a 335 dólares .

Em visitas a Ilha , representantes das Testemunhas De Jeová sempre optaram por se hospedar em casas de irmãos locais  .
Milton G. Henschel não se sentiu a vontade em fazer o mesmo  .

Depois de vinte anos desse episódio , a liderança das Testemunhas De Jeová não aprendeu a lição e ucontinua em público demostrando que não gostam do simples e sim do luxo .

Numa , postagem em uma rede social  , um ex betelita demonstrou de como a liderança das Testemunhas De Jeová gostam de viver em luxúria as custas dos donativos voluntários de milhares de Testemunhas De Jeová  , algumas bem pobres em todo o mundo .

Nesta postagem o ex betelita descreveu como que são os quartos dos membros do Corpo Governante na nova sede mundial das Testemunhas De Jeová em Warwick nos Estados Unidos .

Segundo esse ex betelita  , cada apartamento dos membros do Corpo Governante possui 2 quartos , 2 banheiros , cozinha com balcão  , escritório e uma sala com televisão  .

Cada quarto que os membros do Corpo Governante ocuparão foram projetados exclusivamente de acordo com seus gostos .

Para o Gerald Losch , reservou-se um apartamento exclusivo com vista para o belo lago de Warwick  .
Mas ele acabou recusando o apartamento ,optando por um com vista para as montanhas  . 

Segue nessa postagem o print da informação  .

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Jesus Cristo destruindo soldados em vídeo produzido pelas Testemunhas de Jeová causa polêmica

Segundo relatórios da polícia exclusão praticada pelas Testemunhas de Jeová foi um dos motivos que levou mulher a matar toda sua família e logo em seguida se suicidar nos Estados Unidos

Cirurgia sem sangue leva Testemunha de Jeová a morte e dois médicos para a prisão na Itália